quinta-feira, 10 de maio de 2012

Avó Xaxão.

Hoje pela manhã, quando me estava a vestir, lembrei-me dela. Não é que não me lembre em todos os outros dias, mas hoje, bateu um bocadinho mais forte.
Enquanto calçava as meias e as fazia deslizar pela perna, lembrei-me do bom que era, quando ela me ajudava a vestir para ir para a escola.
Do bom que era, ouvi-la dizer coisas que só a ela lhe passavam pela cabeça como: sinal no dedo mulher de segredo, sinal na perna mulher de taberna. E eu ria. Ria muito e sem parar porque taberna fazia-me cócegas no ouvido. Ria-me tanto, que ela tinha que se fingir aborrecida comigo para eu parar de rir e ela me conseguir vestir. 
Lembrei-me que ela se deixava dormir a ver televisão e eu me escondia atrás do sofá para a assustar. Não era por mal, era só para a ver saltar e ouvir dizer meia desconcertada, enquanto procurava a agulha da renda, que não estava a dormir.
Lembrei-me dos lanches que ela tinha à minha espera quando eu saía da escola, e que tinham que ser segredo, porque eu gostava de beber café de cevada com ela, e a minha mãe não achava graça nenhuma.
Lembrei-me das batatas fritas em azeite e dos ovos mexidos.
Lembrei-me de estar deitada no colo dela a chorar porque o cão do vizinho me tinha mordido e da descompustura que ela lhe deu no dia seguinte.
Lembrei-me que ela, era aquela senhora com cabelo branco de neve e de ar simpático, mas que não gostava de beijos, só dos filhos e dos netos.
Lembrei-me, que nos últimos anos da vida dela, ficou surda que nem uma porta e que à conta disso, nos ríamos muito enquanto ela mandava toda a gente à merda porque tinha a noção que tinha dito alhos como resposta aos bugalhos.
Lembrei-me do dia em que ela morreu. Lembrei-me que estava a dormir e acordei em sobressalto. Um minuto depois o telefone tocou a anunciar a sua morte.
Lembrei-me do que é a saudade e hoje tenho mesmo saudades tuas avó.

10 comentários:

  1. Estava a ler e há certas coisas que realmente me identifico. A lengalenga dos sinais, sempre que me aparecia um sinal novo, lá estava ela a dizer-me o se significado.
    Também tenho saudades da minha e mitos remorsos por nem sempre ter sido uma boa neta.
    Onde quer que a tua avó esteja, ela está a olhar para ti e a sorrir ;)

    ResponderEliminar
  2. Há dias assim... e que as memórias passadas nos assombram... também tenho dias desses...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, mas não são memórias más. É bom recordar!

      Eliminar
  3. ....é assim que recordo a minha, com os ditos, a cevada e o cabelo de neve. Tenho muitas saudades, e espero, muito, que ela saiba.

    ResponderEliminar
  4. Belo texto. As saudades são poderosas, ainda mais, de pessoas que marcaram a nossa vida. Eu também tive uma pessoa especial que partiu, o meu avô D. Lembro-me dele, quase todos os dias e sorrio porque foi um privilégio tê-lo na minha vida. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Margarida. É isso mesmo, quando as pessoas nos marcam assim, há que saber sorrir e guardar essas memórias para sempre no coração. Beijinho.

      Eliminar

Dizei de vossa justiça minha gente :)